Horizontina 60 anos - O resultado do Plebiscito

Finalmente, depois de ter sido adiado por duas vezes – 07 de setembro e 15 de novembro – realizou-se em 20 de dezembro de 1953, também um domingo, o plebiscito em Horizontina e Tucunduva. Desta vez só poderiam participar os que efetivamente eram portadores de titulo eleitoral – analfabetos e estrangeiros estavam excluídos – atendendo ao que previa o artigo 26 da Lei nº 2.116.

A apuração do plebiscito, coordenada pelo Juiz Oscar Cardoso Kramer, acusou o seguinte resultado:

DISTRITOS  SIM  NÃO

Horizontina  898  151

Tucunduva  58  100

TOTAL  956  251

Embora os emancipacionistas fossem vencedores o resultado revelou certa surpresa à Comissão. Ainda que o SIM tivesse a expressiva adesão de 79,2% dos vototantes, a surpresa estava na vitória do NÃO no distrito de Tucunduva onde recebeu a adesão de 63,3% dos votantes. Estes eleitores votaram contra a emancipação por que não querem a inclusão do seu distrito ao novo município, tanto que em agosto de 1954 chegaram a encaminhar um expediente a Assembleia Legislativa solicitando a exclusão do seu distrito.

Outra surpresa estava no percentual de 14,4% que o NÃO recebeu dentro do próprio distrito de Horizontina. O percentual era resquício de parte daqueles que haviam, em 1949,se colocado a favor da inclusão de Horizontina ao então pretendente município de Três de Maio. A Comissão estimou que a resistência a emancipação fosse bem menor, ou tivesse até desaparecido.

O fato não deixou de ser percebido por Arno Ecke, que assinala. Ironicamente: “Os indolentes, que não lutaram contra a inclusão do nosso distrito na formação do município de Três de Maio, também deixaram de lutar pela nossa emancipação. Era um grupo tão reduzido que, no “rugir e fragor da batalha”, desapareceu sob o entusiasmo das lideranças ficando para trás, “na neblina”.

No próximo texto: A tramitação do Processo. Até La.